Peça do Século XIX estava em Divinópolis. Prefeitura trabalhou para retorno da imagem sacra a Pará de Minas.

 

O Divino Espírito Santo que por anos ornamentou o altar principal da antiga Matriz de Pará de Minas está de volta à sua origem. A peça do Século XIX, esculpida em madeira entalhada, encarnada e policromada, foi levada para a sede da Diocese em Divinópolis nos anos 90 e ficou por lá durante mais de 20 anos. “É uma peça muito valiosa e de grande importância histórica e religiosa. “A gente imagina que ela foi levada para Divinópolis pelo fato de ela representar o Espírito Santo e a catedral ser dedicada a ele. Ela ficava exposta em uma sacristia. Depois, foi transferida para um local que abriga o acervo da catedral. Junto com a Secretaria de Cultura, iniciamos um processo para reaver a peça. O Bispo Dom José Carlos atendeu nosso pedido e ela está novamente na nossa Paróquia”, disse Padre Charley Marcelino, Administrador Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Piedade.

Agora, após um trabalho intenso, de mais de um ano, liderado pela Secretaria Municipal de Cultura e Comunicação Institucional, o Divino Espírito Santo está de volta aos cuidados a quem é de direito, o povo de Pará de Minas. Essa imagem do Divino Espírito Santo é considerada uma das primeiras obras de arte genuinamente pará-minense. “Em janeiro do ano passado, Ana Maria Campos e eu retomamos a ideia de trazer de volta essa peça. Então, durante os últimos meses fizemos reuniões com o Bispo Dom José Carlos, com Padre Helton Ferreira Rodrigues – responsável pelo Patrimônio Cultural da Diocese de Divinópolis e com o Arcebispo Dom Gil Antônio Moreira – integrante da Comissão sobre a Preservação dos Bens Patrimoniais da Igreja no Brasil e membro do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo. Foi uma junção de esforços da atual administração da Prefeitura de Pará de Minas, do Prefeito Elias, do Secretário Paulo Duarte e da equipe técnica da Secretaria de Cultura e Comunicação Institucional e do Padre Charley que culminou no retorno desse patrimônio histórico para Pará de Minas”, disse o Assessor de Cultura José Roberto Pereira.

O autor da peça foi identificado como Adão, um ex-escravo de Antônio José de Melo. “Descobrimos a origem dessa peça em uma conversa com Silvestre Pereira Coelho, sobrinho dos Padres José Pereira Coelho e Silvestre Pereira Coelho. Ele me contou que a peça foi feita pelo Adão que foi escravo do avô dele. Nas fotografias da antiga matriz, podemos ver o Divino Espírito Santo encimando o altar-mor. Ela é muito importantíssima para a história religiosa e artística de Pará de Minas”, disse Ana Maria Campos, Gerente do Museu Histórico de Pará de Minas.

A peça, brevemente, poderá ser vista no Santuário de Nossa Senhora da Piedade. “Ela ficará exposta junto ao a imagem de Nosso Senhor Morto. Pretendemos que o Santuário de Nossa Senhora da Piedade seja um lugar de visitação não só pela fé católica, mas também pela cultura e história”, completou Padre Charley. Ele disse também que a peça deverá, em breve, passar por um processo de restauração feito por um especialista na cidade de São João Del Rey.

No mês de agosto, a imagem do Divino Espírito Santo ficará exposta no Museu Histórico de Pará de Minas em uma ação de educação patrimonial promovida pela Prefeitura.