Por Ana Maria Campos*

                                                                        Os homens passam, mas suas histórias e benfeitorias ficam.            
                                                                        Pará de Minas tem uma história extensa para contar de sua
                                                                        gente, graças ao relevante trabalho de muitos filhos que já
                                                                        se foram, mas  que deixaram marcas de uma brilhante 
                                                                        trajetória de vida. 
                                                                        (In: Jornal da Educação.Vultos Históricos; pág.9; setembro/2000.) 
                                                                                           

                  Silvino Moreira dos Santos nasceu em 28 de junho de 1905 em São Gonçalo do Pará, distrito da Cidade do Pará, atual Pará de Minas(MG). É filho de Ernesto Moreira dos Santos (primeiro telegrafista da Estação Telegráfica Federal, inaugurada em 1909) e de Maria da Conceição Marinho. Perdeu a mãe em tenra idade, sendo criado pelos tios Onésima Diniz Moreira de Almeida e o Cel. Torquato Alves de Almeida. Pelo lado paterno, Dr. Silvino é bisneto do Major Manoel Antônio Moreira dos Santos, vereador da primeira Câmara da Vila do Pará. Pelo lado materno é bisneto de Antônio José Marinho, o Antônio Novato, vereador por 10 anos, chegando a ser Presidente da Câmara e Agente Executivo do Pará, no período de 14-05-1877 a 10-01-1881 e de 13-02-1883 a 12-01-1885.
                 Silvino Moreira dos Santos cursou o primário no recém instalado Grupo Escolar Torquato de Almeida, com a professora D. Maria das Dores Leite. Entre seus colegas estava Mário Luiz Silva, futuro farmacêutico, professor e pesquisador da história de Pará de Minas, com o qual firmou calorosa amizade. Em 1917, os dois estavam cursando o 4º.  ano  primário com o já renomado Professor José Pereira da Costa e ainda eram coroinhas do Vigário da Paróquia N. Sª da Piedade, Padre José Pereira Coelho, o Padre Zeca.
                 Terminado o primário, por ter ótima caligrafia e ter se destacado nos estudos, Silvino foi admitido como auxiliar na secretaria da Câmara Municipal, ao mesmo tempo em que estudava no Externato dos Professores José Pereira da Costa e José Gonçalves de Melo. O curso secundário concluiu através de exames parcelados prestados no Ginásio Mineiro, em Belo Horizonte. Nessa Capital também formou-se em Farmácia em 1925, mas o jovem farmacêutico constatou que a sua vocação era outra e ingressou na Faculdade de Medicina. Em 21 de dezembro de 1930, Silvino Moreira dos Santos colou grau como médico pela Universidade de Minas Gerais, atual UFMG. Nesse ano atuou como médico da Revolução de 1930, em Belo Horizonte.
                 No mês seguinte, já em 1931, Dr. Silvino abriu o consultório em Pará de Minas e integrou o corpo clínico do Hospital N. Sª da Conceição. Com poucos anos de exercício profissional impôs-se como médico e adquiriu excelente clientela. Daí por diante foram inúmeras as suas frentes de trabalho, como clínica particular, médico do Hospital da cidade, médico da Unidade Sanitária de Pará de Minas, médico do Centro de Puericultura Odete Valadares, médico do IPSEMG – Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais, médico da EMAF – Escola Média de Agricultura de Florestal, Provedor e Diretor do Hospital N. Sª da Conceição durante mais de 22 anos, local onde executou uma obra notável como administrador.
                 Fez o curso de Medicina do Trabalho, foi membro correspondente da Academia Mineira de Medicina, membro associado do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, membro titular da Sociedade Brasileira de Câncer, membro da Academia Brasileira de Administração Hospitalar, membro da Associação Médica Brasileira, da Associação Médica de Minas Gerais, da Sociedade Brasileira de Pediatria, da Sociedade Mineira de Pediatria e do Conselho Regional de Medicina, atuando nesse Conselho como secretário durante 25 anos, prestando relevantes serviços à classe médica mineira. Possuía diploma de membro da C.I.C. de Farmácia e da C.I.C. Médico-Hospitalar, conferidos pela Associação Brasileira de Hospitais e Academia Brasileira de Administração Hospitalar e era Sócio Benemérito da Associação Brasileira de Odontologia – ABO, seção de Pará de Minas.
 Dr. Silvino foi médico na época em que se fazia o atendimento em domicílio e no tempo das viagens à cavalo. Sempre preocupou em atualizar-se, fazendo cursos, participando de congressos e jornadas médicas.
                Na Educação estendeu a contribuição como professor de História Natural durante muitos anos no Ginásio Municipal São Geraldo e, posteriormente, no Ginásio São Francisco. Também foi médico de várias escolas da cidade, avaliando os alunos para a Educação Física. A contribuição que deu ao esporte efetivou-se quando foi Presidente da Praça de Esportes, proporcionando melhorias significativas no clube: construiu a piscina infantil, um parque com balanços, gangorras e escorregadores de madeira para as crianças, além do vestiário próximo às novas instalações do clube. 
                 Dr. Silvino foi também Presidente do Centro Literário Pedro Nestor em 1938, reformando seu salão de festas. Teve ativa vida religiosa, colaborando muito com a Paróquia N. Sª da Piedade, tendo sido um dos primeiros Ministros da Eucaristia, contribuindo também como Presidente do Serra Clube.
                 Como industrial, Dr. Silvino foi Diretor-Presidente da Companhia Industrial Paraense e, com o falecimento do Cel. Torquato de Almeida, tornou-se o Diretor-Gerente, tendo sido ele o construtor da II Usina Hidroelétrica de Carioca, inaugurada em 07 de fevereiro de 1960.  A Usina Carioca II era mais possante que a primeira e colaborou intensamente para o fornecimento de energia elétrica para a cidade, tendo sido posteriormente denominada Usina Dr. Silvino Moreira dos Santos, em 26 de abril de 1969. A Companhia Industrial Paraense tornou-se concessionária do serviço de eletricidade do município até a chegada da Cemig – Centrais Elétricas de Minas Gerais.
                 Dr. Silvino casou-se com Vanda Marinho Moreira dos Santos em 12 de junho de 1945, em Aparecida do Norte. O casal teve a filha Jane que, casando-se com o Dr. Alcides Nilton Campos Almeida, deu-lhe três netos: André, Leonardo e Alexandre. Leonardo segue o exemplo profissional do avô.
                 Dr. Silvino foi um grande servidor do Hospital de Pará de Minas, o Nossa Senhora da Conceição, sendo Irmão da entidade desde 14-02-1923. Foi o médico que mais tempo integrou seu corpo clínico, de janeiro de 1931 a junho de 1986, portanto, mais de 55 anos. Foi seu Provedor e Diretor de 10 de janeiro de 1943 a 23 de fevereiro de 1965, portanto, mais de 22 anos, período maior de administração da entidade, superando o período de Torquato de Almeida que foi mais de 21 anos.
                Como Provedor e Diretor do Hospital Nossa Senhora da Conceição, suas principais realizações são:
a. Reformou os estatutos da instituição por duas vezes. A primeira em 16.12.1943 por achar-se o mesmo obsoleto. A segunda vez em 24.01.1964, adaptando-o às exigências legais.
b. Editou novo Regimento Interno em 25.04.1955.
c. Iniciou a publicação quadrimestral de boletins informativos do movimento hospitalar e de doações feitas ao estabelecimento, assim como a     publicação dos Relatórios anuais da entidade.
d. Instalou o serviço da secretaria, chefiada por uma religiosa.
e. Organizou a escrita técnica de acordo com as normas do Ministério da Saúde.
f.  Inaugurou a Galeria de Retratos dos Provedores e Benfeitores da entidade em 08.09.1946, sendo orador o sacerdote paraense Francisco Lopes de Araújo.
g. Inaugurou a Maternidade em 1944, sob direção do obstetra Dr. José Custódio Martins Lage.
h. Instalou um gabinete dentário que foi inaugurado em 04.08.1944 para atender gratuitamente a clientes pobres. O idealizador desse gabinete foi o cirurgião-dentista Dr. José Henriques, que teve a colaboração dos colegas Dr. José Mendes Júnior, Dr. Jafé Almeida, Dr. Vicente Floriano Alves Ferreira, Dr. Geraldo Henriques Campos, Dr. João Batista Cirne Ribeiro. O gabinete dentário do hospital funcionou regularmente por mais de 10 anos e o serviço não pode continuar por vários e imperiosos motivos.
i. Adquiriu um novo e mais possante aparelho de Raio X em 1953, em substituição ao primeiro, adquirido durante a administração do Dr. Murilo    Salles (1926 – 1936).
j. Adquiriu a primeira ambulância em 1949 aproximadamente.
k. Adquiriu vários lotes de terreno nas vizinhanças do prédio do Hospital, ficando a instituição proprietária de mais da metade do grande quarteirão, possibilitando a ampliação da edificação.
 l. Reformou o telhado, forro e a pintura de todo o prédio.
m.Construiu o Pavilhão das Irmãs, destinado à clausura delas. A obra foi doação do farmacêutico Pedro Teixeira de  Menezes Júnior e iniciou-se em 03.09.1944, sendo inaugurada em 01.11.1954. Posteriormente, recebeu a denominação de Pavilhão Dr. Silvino Moreira dos Santos e abrigou a administração e o vestiário.
n. Construção da Capela Nossa Senhora da Conceição, uma doação do Cel. Torquato Alves de Almeida, cujo início das obras foi em 03-09-1944, sendo inaugurada em 12-09-1946 por Dom Alexandre Gonçalves do Amaral, Bispo de Uberaba, nas comemorações do 1º Centenário da     Paróquia Nossa Senhora da Piedade.
o. Construiu nova e ampla cozinha, dotada de câmara frigorífica.
p. Construção da lavanderia toda mecanizada, dotada de um grande reservatório de água.
q. Iniciou a construção do bloco cirúrgico.
r. Construiu o Pavilhão D. Elisa Pacífica de Oliveira. Em 1944 a família do Cel. Júlio José de Melo Sobrinho, em homenagem à memória de sua     progenitora D. Elisa, fez construir junto ao prédio do hospital um pavilhão destinado às meninas da pediatria. O novo pavilhão foi inaugurado em 07 de junho do mesmo ano, 1944. Posteriormente, serviu ao Laboratório de Análises Clínicas devido a várias modificações no prédio.
s. Celebrou convênios com o Estado para a implantação do Serviço de Defesa Sanitária e para tratamento ambulatorial de Tuberculosos.
t. Promoveu diversas jornadas médicas e mesas redondas, desde a fundação em 1959 da Seção Regional da Associação Médica de Minas Gerais, cuja sede era o Hospital.
u. Construiu o Pavilhão Dr. Teófilo de Almeida para o isolamento, sendo inaugurado em 28-12-1950.
v. Construiu o Pavilhão Dr. Lage para ampliar a Maternidade, sendo inaugurado em 25.12.1954.
w. Dividiu as enfermarias por biombos e mandou colocar passadeiras de borracha nos corredores para evitar ruído (SILVA, 1993).

                 Na administração do Dr. Silvino, o Hospital amparou um médico de idade avançada e sem família, o Dr. Domingos Pinheiro, médico e farmacêutico pela Faculdade da Bahia. Por ser um caso omisso no Estatuto e no Regimento Interno, o assunto foi levado à Assembléia Geral de 20.01.1950. O irmão Mesário Dr. Álvaro de Abreu e Silva propôs e foi aprovado, que o Hospital o acolhesse como uma homenagem à classe médica. Dr. Domingos Pinheiro residiu no Hospital até falecer (Idem).
                 O Corpo Clínico do Hospital, durante a administração do Dr. Silvino foi ampliado, ingressando os seguintes médicos:
1. Dr. José Roiz, em 1952
2. Dr. Heleno Vieira Leitão, em 1956
3. Dr. Weber Leite de Magalhães Pinto, em 1956
4. Dr. Jener Jardim Colares, em 1959
5. Dr. João Batista de Moura Lima, em 1962.
6. Dr.Osvaldo Simões, em 1963
                 Após 22 anos de administração, Dr. Silvino deixou o cargo de Provedor e Diretor  do Hospital N. Sª da Conceição em 23 de fevereiro de 1965, continuando a clinicar e a exercer outras atividades paralelas. Seus inúmeros e valorosos serviços prestados a Pará de Minas foram reconhecidos pela Câmara Municipal que outorgou-lhe o título de Cidadão Benemérito.
                 Em 10 de julho de 1986, após mais de 55 anos de serviços médicos prestados à comunidade, faleceu o homem inteligente, culto, polido, equilibrado; o médico competente, dedicado, de alto padrão de ética profissional.
                 O Hospital Nossa Senhora da Conceição em 29 de agosto de 1986 em concorrida sessão solene no auditório da entidade, presidida pelo Vigário Cônego Gabriel Hugo da Costa Bittencourt, prestou uma significativa homenagem à memória do médico benfeitor da instituição. Pelo Dr. Antônio Silva Mendes, Diretor Administrativo do Hospital, foi lido um magnífico discurso escrito pelo Dr. Edward Moreira Xavier que, por motivo especial não pode comparecer. Dr. Nermival Ramos de Morais falou pela 34ª Regional da Associação Médica local. Pela Academia Mineira de Medicina, o Dr. José de Laurentys Medeiros. Pela Associação Médica de Minas Gerais, o seu Presidente Dr. Hélio Osório de Paula. Cônego Hugo deu seu valioso testemunho enaltecendo a figura humana, o valor moral, intelectual e profissional do homenageado. A viúva, D. Vanda Marinho Moreira dos Santos, agradeceu emocionada.
                 Pará de Minas orgulha-se de mais este filho, cujo alto desempenho foi além da sua área de formação, demonstrando a inteligência privilegiada do qual era dotado e, principalmente, o  vibrante interesse e participação no desenvolvimento do Município.

                                                                                                                                                                                     Em julho de 2005.

Fontes consultadas:
.SILVA, Mário Luiz. Hospital Nossa Senhora da Conceição. Estudo Histórico. Gráfica Sidil. Divinópolis. MG. 1993.
.SILVA, Mário Luiz. Doutor Silvino Moreira dos Santos. Cinqüenta anos de médico. Texto. 1980.
.SILVA, Mário Luiz. Adeus a Silvino Moreira. Texto. 1986.
.SILVA, Mário Luiz. O doutor Silvino e o Hospital. Texto. 1986.
.SILVA, Mário Luiz. Hospital homenageia a memória do Dr. Silvino. Texto. 1986.
. JORNAL Gazeta Pará-minense. Adeus, Silvino Moreira. Artigo de Mário Luiz Silva. 25.07.1986. Página 7.
. JORNAL Folha de Pará de Minas. Os grandes tecelões. Artigo de Orlando Moreira. 20.04.2001. Página 6.
. JORNAL PARAENSE. Industrial Paraense, 70 anos de progresso. 19.09.1976. Página 11.
. JORNAL DA EDUCAÇÃO. Vultos Históricos. Página 9. Setembro/2000.
.Correspondência aos acionistas da Cia.Industrial Paraense, em abril de 1969, assinada por José Alves Ferreira de Oliveira, Diretor Gerente da empresa citada. Doc. ECO-14.
.Informações orais de D.Vanda Marinho Moreira dos Santos à Ana Maria de O. Campos, em 14.07.2005.

 

*Ana Maria Campos é pesquisadora da história de Pará de Minas, diretora do Museu Histórico Municipal, editora do livro Pará de Minas, Meu Amor. 150 anos de História e Estórias (2009).