Prefeitura lança novo site e investe na segurança do patrimônio histórico do município.

 

O Museu Histórico de Pará de Minas abriu as portas na noite deste 18 de outubro para o Quinta no Museu. A boa música dessa vez ficou por conta do Grupo Brisa. “Achamos esse espaço maravilhoso para nós que vivemos da arte. Pará de Minas tem que ter um local como esse para nos apresentarmos”, disse a Cantora Andréia Moreira, do Grupo Brisa. “Felizmente a nossa cidade é uma terra de muitos cantores, muitos artistas em todas as áreas, da música ao teatro. Nós somos privilegiados”, disse Sandra Moreira, também integrante do Grupo Brisa.

A 49ª edição da Quinta no Museu foi especial também por que a Prefeitura de Pará de Minas mostrou que valoriza a sua história e patrimônio. Além da conservação da casa mais antiga de Pará de Minas com pintura e manutenção preventiva, o Prefeito Elias Diniz entregou de forma simbólica o novo sistema de câmeras de monitoramento da casa. “Investimos em câmeras digitais, com infravermelho, para oferecer mais segurança ao nosso patrimônio. Estamos preparando também, junto com o Corpo de Bombeiros, um projeto para que tenhamos um melhor sistema de combate a incêndios”, disse o Prefeito Elias Diniz. “Nós já tínhamos um sistema de monitoramento, mas ele era mais acanhado, agora temos a disposição uma tecnologia de ponta. Pará de Minas dá exemplo no cuidado e no zelo para com a memória histórica e o patrimônio”, disse Ana Maria Campos, Gerente do Muspam.

Invalid slider ID or alias.

Outra novidade foi o lançamento do novo site do Museu. O espaço virtual agora está mais moderno.

“Esse site traz parte do acervo do museu e inúmeras informações que vão facilitar o acesso à história da nossa cidade a pessoas do mundo inteiro”, disse o Prefeito.

O endereço site do museu continua o mesmo, museu.parademinas.mg.gov.br. “Pelo site é possível, de qualquer lugar do mundo, as pessoas se interligarem com a comunidade e com a história de Pará de Minas. É importante demais essa conexão. Temos certeza que as pessoas que nasceram aqui não sairão mais da frente do computador ou do smartphone”, completou Ana Maria Campos.